Um motivo para nunca se fazer terapia

Há um motivo para nunca se fazer terapia. Conto qual é: autoconhecimento. Explico: nunca se chega ao consultório de um terapeuta ou analista em busca de autoconhecimento puro e simples, de se conhecer melhor. Se você diz que é esse o seu caso, é bem provável que não esteja em terapia. Arrisco dizer que escolheu … Continue a ler Um motivo para nunca se fazer terapia

Anúncios

Papai Noel existe – uma proposta de reflexão para adultos

Minha filha tinha quase sete anos, ou talvez um pouco mais que isso, quando lançou pela primeira vez a pergunta sobre a existência desses seres a quem atribuímos uma presença muitas vezes invisível e uma existência fantástica. Era Páscoa e a pergunta tinha a ver com o coelho que trazia ovos. Eu havia passado uma parte … Continue a ler Papai Noel existe – uma proposta de reflexão para adultos

Casa (capítulo da dissertação de mestrado “A casa de um jovem casal – a constituição dos espaços da casa como campo de símbolos expressivos da construção da conjugalidade”)

CASA, EXPERIÊNCIA ESSENCIALMENTE HUMANA Juntamente com a alimentação e o vestuário, a casa é um dos elementos cotidianos mais antigos da humanidade. Desde tempos imemoriais, precisando se proteger de um ambiente naturalmente hostil o homem buscou abrigos, de modo que pudesse estar em segurança. Precisou, dessa maneira, delimitar espaços e adequá-los às suas necessidades, de … Continue a ler Casa (capítulo da dissertação de mestrado “A casa de um jovem casal – a constituição dos espaços da casa como campo de símbolos expressivos da construção da conjugalidade”)

Histórias que curam (1) – João de Ferro

Era uma vez um rei que tinha um próspero e harmonioso reino. Perto de seu castelo havia uma enorme floresta, onde viviam animais selvagens de todos os tipos. Um dia o rei mandou um caçador à floresta para caçar um veado, mas o homem não voltou. “Alguma coisa errada aconteceu ali”, disse o rei, e no … Continue a ler Histórias que curam (1) – João de Ferro

É possível explicar o trágico às crianças?

Partindo do princípio de que cada família adota uma forma de criação diferente, que tem um estilo próprio na educação das crianças, muita coisa é possível nesse âmbito. Um leque bastante grande de atitudes cabíveis diante do que aconteceu recentemente no mundo (de forma mais evidente para a coletividade do Ocidente europeu e americano e … Continue a ler É possível explicar o trágico às crianças?

Sobre o mistério de perdoar

A sala estava quente e muito iluminada quando Isabel* se sentou pela primeira vez à minha frente. Tinha vindo, aparentemente, com foco numa única questão, que verbalizou logo nos primeiros minutos do nosso encontro: “Preciso perdoar uma pessoa”. A partir dali contou uma história dura e sofrida. Sua aspiração e sua história iam produzindo um … Continue a ler Sobre o mistério de perdoar

“Família, eh! Família, ah! Novos arranjos familiares” – Trabalho apresentado no VII Congresso Latino-Americano de Psicologia Junguiana – Buenos Aires

O que aconteceu com os grupos familiares que eles se modificaram tão radicalmente nas últimas décadas? O que vem acontecendo mostra que a família não dá mais conta de sustentar as novas aspirações do homem/mulher contemporâneos? Ou, ao contrário, que é tão forte que é capaz de atravessar e sobreviver a mudanças sociais e culturais … Continue a ler “Família, eh! Família, ah! Novos arranjos familiares” – Trabalho apresentado no VII Congresso Latino-Americano de Psicologia Junguiana – Buenos Aires

SORÔCO, SUA MÃE, SUA FILHA – GUIMARÃES ROSA (ou da loucura que habita todos nós)

Aquele carro parara na linha de resguardo, desde a véspera, tinha vindo com o expresso do Rio, e estava lá, no desvio de dentro, na esplanada da estação. Não era um vagão comum de passageiros, de primeira, só que mais vistoso, todo novo. A gente reparando, notava as diferenças. Assim repartido em dois, num dos … Continue a ler SORÔCO, SUA MÃE, SUA FILHA – GUIMARÃES ROSA (ou da loucura que habita todos nós)